5 razões para assistir ao UFC 169 – Barão vs. Faber II
UFC 169 - Dana White apareceu a pesagem com uma camisa do New Jersey Devil (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

5 razões para assistir ao UFC 169 – Barão vs. Faber II

UFC 169 - Alan Patrick comemora de maneira inusitada o peso atingido (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Passamos a pesagem e chegamos à tradicional coluna das 5 principais razões para assistir o UFC do final de semana (alô Combate, molhar a mão desse pobre amante do MMA às vezes cai bem). O UFC 169 – Barão vs. Faber II chega com um card espetacular e que, sinceramente, nem seria necessária essa coluna, mas, vamos lá! Confira abaixo as principais razões para assistir ao evento:

5 – Trio de “ovs” no card

UFC 169 - Ali Bagautinov no peso para enfrentar John Lineker (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Tenho que admitir que nunca vi uma luta sequer de Gasan Umalatov e Rashid Magomedov, mas quando falamos de lutas e o seu nome termina com “ov”, pode ter certeza que você é, no mínimo, um lutador bastante duro. Junte aos dois estreantes o casca-grossa Ali Bagautinov que tentará complicar a sonhada chance de disputar o cinturão de John Lineker. Não dá para esperar nada menos que um lutasso de quem tomava vodka na mamadeira.

4 – John Lineker e a chance de disputar o cinturão

UFC 169 - John Lineker e Ali Bagautinov se encaram após a pesagem (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Na segunda luta do card principal, teremos o brasileiro com nome de gringo chegando à sua segunda prova no final de semana. Depois de vencer a balança em sua segunda tentativa, John Lineker terá pela frente o número sete do ranking para mostrar que deve ser o próximo desafiante de Demetrious Johnson. Vindo de três nocautes consecutivos, o lutador de Paranaguá terá vida duríssima, mas um triunfo convincente acaba com qualquer suspeita que deveria ser o próximo desafiante, ao menos deixando a balança de lado.

3 – Gigantes na corda bamba

UFC 169 - Frank Mir e Alistair Overeem se encaram após a pesagem (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Ao todo são 74 lutas profissionais de MMA somando os dois carteis, mas Alistair Overeem e Frank Mir não têm seus braços levantados após uma peleja desde 2011, somando cinco derrotas nas vezes que pisaram no octógono em 2012 e 2013. O fato positivo é que a noite de sábado promete a redenção de pelo menos um deles e a demissão do outro. Com os altos salários que recebem, os dois experientes atletas chegam pressionados por uma ótima performance para se manterem no UFC mesmo em caso de derrota. Seria o fim da linha para algum deles?

2 – Último antes de subir para os leves?

UFC 169 - José Aldo no peso para enfrentar Ricardo Lamas (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

O namoro de José Aldo, campeão dos penas, com a categoria de cima, os leves, é longo. Mas, curiosamente, o que era uma paquera tem tudo para evoluir para pelo menos um “estamos nos conhecendo” (segundo o vocabulário dos famosos) em caso de vitória do atleta tupiniquim sobre Ricardo Lamas. Ao longo dessa semana, o próprio Dana White deu luz verde para uma disputa entre Aldo e o campeão Anthony Pettis, agora que o principal desafiante, Josh Thomson foi derrotado. Seria essa a última luta do rei do futebol de praia carioca pelos penas?

1 – Consolidação do brasileiro ou final feliz para o americano?

UFC 169 - Renan Barão e Urijah Faber se encaram após a pesagem (Foto: Esther Lin/MMA Fighting)

Sem sombra de dúvidas, Renan Barão e Urijah Faber são, de longe, os melhores lutadores do peso galo no mundo (não me venham falar de Dominick Cruz já que ele não exerce a profissão desde outubro de 2011). O brasileiro de 26 anos recebeu elogios da lenda B.J. Penn e chega confiante para manter a ótima sequência, tendo perdido apenas uma vez na carreira, em sua estreia em 2005 (para se ter uma ideia, o Pride ainda existia!). Do outro lado, Urijah Faber tenta, finalmente, quebrar a escrita de vencer todos, menos os campeões de suas categorias. A fase não poderia ser melhor para o queridinho dos americanos, que passou por cima de quatro lutadores no último ano. Quem leva a melhor?

Sobre Rodrigo Biajoni

Fanático por esportes, acompanha MMA desde os tempos áureos do Pride.