Pride Fighting Championships *11/10/1997 †04/10/2007

Pride Fighting Championships *11/10/1997 †04/10/2007

Pride Fighting Championships
Pride Fighting Championships

– Sumário:

1- PROMOTERS

2- COMO TUDO COMEÇOU

3- CAMPEÕES & LENDAS

3.1 – Kazushi Sakuraba
3.2 – Fedor Emelianenko
3.3 – Wanderlei Silva
3.4 – Mirko Cro Cop
3.5 – Rodrigo Minotauro
3.6 – Dan Henderson
3.7 – Shogun Rua
3.8 – Rampage
3.9 – Mark Coleman
3.10 – Takanori Gomi
3.11 – Igor Vovchanchyn
3.12 – Kevin Randleman
3.13 – Mark Hunt

4- TORNEIOS

5- HISTÓRIAS, BASTIDORES & TRETAS

6- ETRANCES & HIGHLIGHT’S

7- PRIDE, O FIM DE UMA ERA NO VALE-TUDO

8- DOWNLOAD DOS EVENTOS

9- OUTRAS INFORMAÇÕES

Artigo de primeira qualidade feito pelo Vítor, moderador da comunidade MMA Vale-Tudo – Pride & UFC.

——————————————————————————————————————————————————————-

1- Promotores

Kakutogi Revolution Spirits (*1997 – †1998)
Dream Stage Entertainment (*1998 – †2007)

2- Como tudo começou

COMO TUDO COMEÇOU
COMO TUDO COMEÇOU

Depois do sucesso internacional do UFC, o Pride surgiu em 1997 com uma nova estrutura, uma proposta diferente e o apoio dos fanáticos fãs japoneses. Os organizadores aproveitaram toda a cultura de artes marciais e de games de lutas no país e montaram um evento que concorreria com o Ultimate Fighting Championship como um dos grandes torneios de MMA.

Os japoneses criaram uma estrutura gigante em ginásios do país para abrigar os eventos do Pride e daí surgiu uma diferença em relação ao UFC: a utilização de ringues normais em vez do octagon.

No começo, houve críticas ao formato de ringues com cordas, mas, com a tradição do evento aumentando cada vez mais, atualmente é um grande prêmio lutar no Pride, em qualquer local que armem para a luta.

Da mesma maneira que o UFC se internacionalizou e já realizou edições de seus torneios fora dos Estados Unidos, o Pride percebeu que não poderia manter a marca estritamente presa ao Japão e fez neste ano competições no solo norte-americano.

No Pride, grandes lutadores brasileiros fizeram seus nomes: Wanderlei Silva, Rodrigo Minotauro, Rickson Gracie, entre outros, construíram uma verdadeira lista de adversários derrotados e poucos revezes mesmo em ambiente tão competitivo. E eles se tornaram ídolos no Japão, sendo que aqui muitas pessoas nem os conhecem.

O Pride começou em 1997 com um preceito básico: aceitar qualquer arte marcial praticada em qualquer escola de lutas do mundo, tentando transformar a luta em um esporte reconhecido e organizado.

<a name=

O torneio foi iniciado no dia 11 de outubro de 1997, com uma luta entre Rickson Gracie e Nobuhiko Takada sendo o principal combate do Pride FC I, realizado no Tokyo Dome.

Os organizadores do Pride também investiram pesado em regras que possibilitavam uma luta justa, na qual apenas a força e a técnica contam. Mordidas são proibidas, por exemplo. Os japoneses se gabam de nunca terem presenciado uma lesão grave de atleta em seus eventos, enquanto outros esportes como o boxe já registraram algumas mortes.

O Pride também já realizou eventos em estádios e um desses campeonatos atraiu mais de 91 mil pessoas ao Tokyo National Stadium, em 2002.

O Pride FC foi o maior evento internacional de artes marciais mistas (MMA) na época e merece ser lembrado como a origem do sucesso do MMA hoje em dia.

3- Campeões e lendas

Lutadores protagonizaram momentos inesquecíveis no PRIDE. Fedor, Shogun, Anderson Silva, Crocop, Wanderlei Silva, Dan Henderson, Sakuraba, Royce Gracie, Quinton Jackson, Coleman, Nogueira, Liddell… e muitos outros deram essa relevância a esse torneio tão bem lembrado pelo mundo do MMA.

Foram lutas históricas como a de Crocop contra o Fedor, Crocop contra o Wanderlei, Wanderlei contra o Jackson, Wanderlei contra o Sakuraba, Nogueira contra Crocop, Sakuraba contra o Gracie, Shogun contra o Jackson, Dan Henderson contra o Wanderlei… enfim, dito de outra forma, um campeonato de outro mundo.

Ninguém nem nada poderá tirar esse posto especial na historia do MMA que é propriedade do PRIDE.

No inicio, o Pride não era divido em categorias, O PRIDE 1, teve como primeiro vencedor, Rickson Gracie (vencedor do PRIDE 1 e 4), que venceu um lutador de aproximadamente 20 kg mais pesado. Posteriormente Pride foi dividio em 4 categorias (pesado, médio, meio médio e leve) cada uma com um campeão. Além dos cinturões de cada uma das categorias existe também os campeões dos GPs (Gran Prix), que são torneios realizados anualmente.

Quando Zuffa LLC comprou Pride, ele mudou-se para unificar os títulos dos médios e Meio-Medios com os seus próprios títulos dos meio-pesados (205 libras) e dos médios (185 lbs). Dan Henderson, que segurou os Cinturões dos médios do Pride e os Meio-Medios no momento que a Zuffa LLC comprou, foi batido em duas Defesas de unificação, a Primeira Defesa foi contra o Quinton Jackson em setembro de 2007 e depois Contra Anderson Silva em março de 2008. Os titulares abaixo foram aqueles que detinham os títulos em 8 de abril de 2007, data do último Pride FC promoveu show.

No UFC 75, Quinton Jackson unificou os cinturões do PRIDE FC e do UFC dos Pesos Médios que no UFC é a categoria dos meio-pesados, ao derrotar Dan Henderson; Atualmente o Cinturão unificado pertence ao Jon Jones

No UFC 82, Anderson Silva unificou os cinturões do PRIDE FC e do UFC Pesos Meio-Médios que no UFC é a categoria dos Médios, ao derrotar Dan Henderson.

Kazushi Sakuraba
Kazushi Sakuraba

3.1 – Kazushi Sakuraba

Nacido em 14 de julho de 1969, é um lutador de MMA japonês. Já lutou em eventos como UWFi, Reino Pro Wrestling, Ultimate Fighting Championship, PRIDE, e K-1 HERO’S. Atualmente está no DREAM, que susbstitui o HERO’S. Ele é conhecido pela sua maestria no Wrestling Japones, Grapling e Submission e como Gracie Hunter (algo como Caçador de Gracies) por já ter derrotado integrantes da Família Gracie, conhecida pelo desenvolvimento do jiu-jitsu brasileiro. Entretanto, em 2007, numa revanche, Royce Gracie conseguiu derrotá-lo. Possui vitórias notáveis sobre Carlos Newton, Vitor Belfort, Guy Mezger, Quinton Jackson, Kevin Randleman, Ken Shamrock, Ikuhisa Minowa, Masaktsu Funaki e membros da família Gracie como Royler Gracie, Royce Gracie, Renzo Gracie e Ryan Gracie. É considerado por muitos uma lenda do MMA e um dos maiores artistas marciais de todos os tempos.

3.2 – Fedor “The Last Emperor” Emelianenko

Fedor Emelianenko
Fedor Emelianenko

Fedor Vladimirovich Emelianenko, nasceu em 28 de setembro de 1976, é o irmão mais velho de Aleksander e Ivan Emelianenko. É considerado o melhor lutador da história, pelo seu cartel com diversas vitórias em cima de lutadores de nome no MMA.

Fedor Emelianenko estreou no Pride 21, 23 de junho de 2002, contra o holandês Semmy Schilt, um striker de 2.11 m, luta em que o russo venceu por decisão unânime. Em seguida, venceu Heath Hering, o que o credenciou a disputar o cinturão peso-pesado do Pride.

No dia 16 de março de 2003, no Pride 25, Fedor se tornou campeão dos pesados do Pride ao vencer o brasileiro Antônio Rodrigo Nogueira. Lutou três vezes no Pride, vencendo todas no primeiro assalto, antes participar do Pride Heavyweight Grand Prix 2004.

Pride Heavyweight Grand Prix 2004 – Nesse GP, Fedor venceu respectivamente Mark Coleman, Kevin Randleman, Naoya Ogawa, e na final enfrentou novamente Rodrigo Minotauro. Esta luta foi dada como sem resultado, após o brasileiro desferir uma cabeçada acidental no russo, uma nova luta foi marcada meses depois, e assim como a primeira luta entre eles, Fedor venceu por decisão unânime.

Após vencer o GP dos pesados do Pride, Fedor conseguiu a revanche contra o único lutador que tinha conseguido, até então, vencer o russo, o japonês Tsuyoshi Kohsaka. Emialianenko dominou a luta, e venceu por nocaute técnico após a intervenção médica. Em seguida, no Pride Final Conflict 2005, Fedor conseguiu uma das maiores vitórias da carreira contra o kickboxer croata, Mirko Filipović “Cro Cop” por decisão unânime.

3.3 – Wanderlei Cesar da Silva ou “Wanderlei Silva”

Wanderlei Silva
Wanderlei Silva

Nascido em Curitiba, no dia 3 de julho de 1976, a trajetória profissional de Wanderlei Silva como grande lutador, iniciou-se no Pride, evento que reuniu os melhores profissionais de MMA. Nesta época Wanderlei se destacou ao derrotar Dan Henderson, lutador extremamente perigoso, que durante esta luta, deixou seu rosto desfigurado; por muita convicção e certa tolerância dos médicos responsáveis, Wanderlei prosseguiu a luta. Enxergando praticamente de um só olho, Wanderlei impôs seu ritmo explosivo, e com muito vigor conseguiu reverter a situação.

Em pouco tempo, Wanderlei desafiava Sakuraba, o então carrasco de brasileiros. Impondo seu ritmo agressivo e devastador, Wanderlei vence Sakuraba rapidamente e de forma convicente: surgia um novo ícone brasileiro. Posteriormente, em resposta a Rickson Gracie que tinha na ocasião 50 anos e disse que o MMA esta nivelado por baixo, Wanderlei desafiou a Lenda, que não respondeu ao desafio.

Em 2005, aos 29 anos, Wanderlei Silva foi considerado o maior lutador de Vale Tudo de todos os tempos. Representando o Brasil nos Prides internacionais e ídolo em vários países, é personagem de vídeo game e garoto propaganda de diversos comerciais de TV. Seu rosto foi imortalizado em bonecos de diversos tamanhos e teve uma participação num filme japonês sobre lutas marciais.

Wanderlei virou uma marca, que vende facilmente produtos com seu rosto. Ele também lançou uma marca própria de roupas, a Wand, que oferece confecções e acessórios esportivos fight wear e sport wear. A moda ganhou destaque principalmente em academias por ser apropriada para luta e treinos, mas a linha passeio também tem excelente aceitação. Quase toda a produção é destinada à exportação, mas no Brasil é encontrada em vários pontos de venda.

WS Art
WS Art

The Axe Murderer – Silva apresenta um apelido em suas lutas: Machado Assassino , pois possui uma estatística invejável: 33 vitórias; 10 derrotas e 1 empate. Sendo assim, é considerado um dos melhores na categoria light heavy weight (até 93 kg) pela maioria das mídias especializadas. Só no Pride, Wanderlei escreveu uma história à parte: foi vitorioso diversas vezes batendo nomes como Dan Handerson, Quinton Jackson e Guy Mezger.

Para os japoneses, o estrago foi ainda maior: Sakuraba, Matsui, Kondo, Minowa, Oyama e Yoshida foram alguns dos nomes derrotados por Wanderlei. É isso que o torna um dos lutadores mais populares de todos os tempos, no Japão. Segundo os japoneses, Wanderlei Silva é adorado por mostrar um jogo de striker, com algumas técnicas de chão. Seus chutes e socos são vistos como herança do karatê e de suas ramificações. Porém, são os nocautes e a agressividade que mais impressionam o público. Poucas vezes, ele foi visto defendendo-se no decorrer das lutas, já que ele ataca, incessantemente, sem dar um passo pra trás, até que o adversário caia aos seus pés. Esse tipo de postura, no ringue, tornou-se marca registrada do curitibano e já começa a ser imitado por diferentes lutadores dos mais variados países.

As sucessivas vitórias de Wanderlei no Pride foi quebrada por Mark Hunt, um campeão de K-1, em 31 de dezembro de 2004, no Shockwave 2004. Hunt ganhou um combate que não contava para o título por decisão. A mesma foi controvertida, já que muitos pensavam que os quase 25 quilos de diferença entre os lutadores e o fato de que Silva dominou todo o terceiro round não foram consideradas suficientemente pelos juízes. Randy Couture e Bas Rutten, ambos comentaristas do evento, expressaram seu desacordo com a decisão, Silva perdeu por decisão dividida.

A posição de Silva nos pesos médios de Pride tem sido ultimamente tema de crítica e debate devido a sua derrota em frente a Ricardo Arona, em 28 de agosto de 2005, no combate das semifinais do Pride Grand Prix 2005: Final Conflict. A derrota, por decisão unânime, tem sido a sua primeira derrota em um combate dos pesos médios no Pride.

Em 24 de fevereiro de 2007, Wanderlei perdeu o título dos pesos médios de Pride, o qual foi campeão durante seis anos, depois de ser derrotado por Dan Henderson no terceiro round do combate principal do Pride 33 “Second Coming”. As sucessivas vitórias de Wanderlei no Pride foi quebrada por Mark Hunt, um campeão de K-1, em 31 de dezembro de 2004, no Shockwave 2004. Hunt ganhou um combate que não contava para o título por decisão. A mesma foi controvertida, já que muitos pensavam que os quase 25 quilos de diferença entre os lutadores e o fato de que Silva dominou todo o terceiro round não foram consideradas suficientemente pelos juízes. Randy Couture e Bas Rutten, ambos comentaristas do evento, expressaram seu desacordo com a decisão, Silva perdeu por decisão dividida.

Em 31 de dezembro do 2005 no torneio Pride-Shockwave 2005, Wanderlei recuperou o campeonato dos pesos médios do Pride derrotando Ricardo Arona por decisão dividida.

Em 1 de julho do 2006 entrou ao Grand Prix como o substituto de Fedor Emelianenko (estava recuperando-se de uma cirurgia) e venceu Kazuyuki Fujita por knock-out técnico depois do dominar toda a luta tanto parado como no andar. Como preparação para este Open Weight, Silva nesta ocasião subiu de peso até chegar a 105 quilos, no entanto, na semifinal deste Grand Prix, Silva foi nocauteado por Cro Coppor um chute alto na cabeça.

3.4 – Mirko “Cro Cop” Filipović

Cro Cop
Cro Cop

Nasceu em 10 de setembro de 1974, é um lutador croata, ex-policial e lutador de MMA (Vale-Tudo) e do K1 (maior campeonato de kickboxing do mundo). Foi campeão do extinto Pride Grand Prix 2006.

Mirko ficou mundialmente conhecido por nocautear seus adversários com seu potente chute de esquerda. Entre os quais está o chute desferido contra Igor Vovchanchyn que simplesmente “apagou” antes mesmo de ir à lona.

Após ter sido campeão do extinto PRIDE Fighting Championships em 2006 nocauteando dois grandes lutadores na mesma noite, Wanderlei Silva e Josh Barnett, Cro Cop foi para o UFC, onde estreou com vitória sobre Eddie Sanchez.

Cro Cop é uma das maiores lendas de todos os tempos do MMA, considerado por muitos como a segunda maior lenda do Pride FC, ficando atras apenas de Fedor Emelianenko.

3.5 – Antônio Rodrigo “Minotauro” Nogueira

Minotauro
Minotauro

Nascido em Vitória da Conquista, em 2 de junho de 1976, irmão gêmeio de Antônio Rogério Nogueira (Minotouro), é um lutador brasileiro da categoria peso-pesado de MMA. É um dos maiores representantes das artes marciais brasileiras.

Tricampeão Mundial de MMA (Mixed Martial Arts), é reconhecido como o lutador brasileiro que pertence ao olimpo dos grandes campeões do mundo. Hoje, representa o espírito Pretorian por sua força, garra e profissionalismo. Rodrigo Minotauro era o único lutador de MMA do planeta campeão do Pride (principal evento do MMA mundial na primeira década do século 21) e também campeão do UFC, maior evento da atualidade até um outro brasileiro conseguir o mesmo feito, o curitibano Mauricio “Shogun”.

Rodrigo Minotauro fez seu nome subir ao lugar mais alto do esporte quando foi campeão do GP do Pride em 2003 numa luta épica diante de Cro Cop.

Aos onze anos sofreu um grave acidente ao ser atropelado por um caminhão, ficando quatro dias em coma e um ano internado. Ficou com uma cicatriz (na forma de um buraco) nas costas que o acompanha até hoje e que se tornou uma forma simples de diferenciá-lo do seu irmão gêmeo, Antônio Rogério Nogueira “Minotouro”, também lutador de MMA.

Seu estilo de luta é baseado no Jiu-jitsu brasileiro e Boxe. Era um dos principais lutadores do Pride, junto com Fedor Emelianenko, com quem lutou duas vezes. Na primeira luta houve um corte acidental na testa do atleta russo, fato que fez a luta ser adiada para um próximo confronto (remarcado para quatro meses depois). Na segunda luta, Minotauro foi derrotado por decisão unânime, perdendo assim o cinturão dos pesos pesados.

Também perdeu a chance de conquistar o cinturão do GP Absoluto do Pride quando foi derrotado por Josh Barnett na semifinal em decisão dividida dos juízes (decisão contestada). Por discordar do resultado dessa luta, Minotauro marcou uma revanche, da qual saiu vitorioso.

Atualmente possui contrato com o evento Ultimate Fighting Championship, onde foi campeão interino do UFC, tornando-se o primeiro pesado da história a conquistar o cinturão do Ultimate e do PRIDE. Em dezembro de 2008, perdeu seu titulo interino para o americano Frank Mir, em sua primeira derrota por nocaute da carreira. Minotauro jamais foi finalizado até o momento em uma luta profissional de MMA.

3.6 -Daniel Jeffery Henderson ou “Dan Henderson”

Nasceu em 24 de agosto de 1970, ele foi campeão dos pesos médio e meio-pesado do PRIDE e lutou no UFC. Atualmente é campeão pelo Strikeforce na categoria de meio-pesado.

Em sua primeira luta com Wanderlei Silva, Henderson desfigurou seu adversário com um potente soco no olho; no entanto, perdeu por pontos, pois Wanderlei conseguiu reverter sua crítica situação, mesmo com sua visão parcialmente afetada. A partir daquela luta, Wanderlei teve suas portas abertas para sua ascensão mundial no MMA. Anos depois, Wanderlei lutou novamente com Dan Henderson, desta vez perde por nocaute, ocasionando um evidente declínio em sua carreira. Na sua chegada ao UFC, Henderson foi derrotado por Quinton “Rampage” Jackson e foi finalizado pelo antigo parceiro de treino de Wanderlei, Anderson Silva. Já venceu Antônio Rodrigo Nogueira e foi campeão no extinto Pride, evento que concentrou os maiores lutadores de MMA de seu tempo.

3.7 – Mauricio “Shogun” Rua

Mauricio Milani Rua, o curitibano nasceu no dia 25 de novembro de 1981, foi campeão na categoria meio-pesado do PRIDE 2005, o maior evento internacional de MMA do mundo na época. Atualmente, Shogun é ex-campeão mundial dos pesos meio-pesados (até 93 kg) do UFC – Ultimate Fighting Championship, título que perdeu ao ser derrotado por Jon Jones no UFC 128, sendo nocauteado pela primeira vez em sua carreira. Durante sua carreira, Shogun acumula notáveis vitórias contra muitos nomes consagrados do MMA mundial, como Evangelista “Cyborg” dos Santos, Quinton Jackson, Antônio Rogério Nogueira, o Minotouro, Alistair Overeem, Ricardo Arona, Mark Coleman, Kevin Randleman, Chuck Liddell, Lyoto Machida entre outros.

PRIDE Bushido – Shogun fez sua estréia no Pride Bushido 1, em Outubro de 2003, evento promocional que visava revelar talentos para o evento principal, o PRIDE Fighting Championships, maior evento de MMA do mundo na época. Em sua primeira luta enfrentou o japonês Akira Soji, vencendo por nocaute técnico no primeiro round, após boa sequência de golpes que derrubou o japonês, seguido de um pisão no rosto que obrigou o juiz a interromper a luta.

Shogun Pride GP 2005
Shogun Pride GP 2005

Conquista do Cinturão do PRIDE Grand Prix 2005 – Categoria Meio-Pesado

Oitavas-de-final / PRIDE Total Elimination 2005 – O evento reunia os melhores da categoria, que iam se enfrentando em sistema de “mata-mata” desde oitavas-de-finais, quartas-de-finais, com as semifinais e a final realizadas no mesmo evento. Nas oitavas-de-final, ocorrida em Abril de 2005, Shogun iria enfrentar ninguém menos que o duríssimo e duas vezes vice-campeão do Pride GP Quinton Jackson, aproveitando para tentar vingar seu irmão, Murilo Rua, o Ninja, que havia sido derrotado em uma situação controversa pelo Rampage Jackson no PRIDE 29. Esta luta ficou marcada como uma das melhores atuações da carreira do Shogun, e uma das melhores atuações da história do evento na categoria, Mauricio Shogun deixou o mundo do MMA em alerta ao literalmente destruir Quinton “Rampage” Jackson com uma performance dominante e arrasadora jamais vista antes. Desde o início, Shogun dominou o Rampage por completo, usando muito o clinch com seu excelente Muay Thai, Shogun desferiu muitas fortes joelhadas que acabaram por quebrar uma costela do Rampage, arriscou até um golpe bastante plástico dando um chute duplo com as duas pernas na cabeça do Rampage, e aplicou fortes socos na cabeça do Rampage, além de conseguir aplicar uma boa queda no americano.

E como se não bastasse, encurralou Jackson no corner e aplicou um forte gancho seguido de muitas joelhadas na cabeça do americano, Jackson tentou ir para as pernas do Shogun, que evitou a queda o aplicou dois tiros de metas no rosto do americano que ainda estava no chão, e que não teve outra opção a não ser voltar para o corner, Shogun ainda aplicou uma joelhada voadora e um chute alto no rosto do americano que se debatia como podia e tentava sair dali desesperadamente, mas Shogun não deu espaço e voltou a aplicar algumas fortes joelhadas no rosto do americano, que não agüentou a pressão e acabou caindo sentado no corner, então, Shogun aplicou mais três tiros de metas no rosto do americano obrigando o juiz a paralisar a luta e decretar a vitória do brasileiro por nocaute técnico ainda no primeiro round. Foi realmente arrasador, após a luta, Jackson deu uma entrevista dizendo: “Shogun foi o melhor lutador que eu já enfrentei”, e completou: “Subestimei o Shogun, pois a joelhada dele é mais forte que a do Wanderlei Silva”, se referindo à costela quebrada, e ao Wand que já havia vencido o Rampage nas duas finais anteriores de Pride GP aplicando joelhadas.

Quartas-de-final / PRIDE Critical Countdown 2005 – Nas Quartas-de-final, ocorrida em Junho de 2005, Shogun enfrentou outra pedreira, o baiano Antonio Rogerio Nogueira, o Minotouro, que nas oitavas-de-final passou por ninguém menos que o americano Dan Henderson.

Shogun-vs-Minotoro
Shogun-vs-Minotoro

Minotouro era pertencente da equipe Brazilian Top Team, grande rival da Chute Boxe na época, e esta foi à única luta do Shogun no torneio a ir para a decisão dos juízes, e realmente foi uma luta muito equilibrada, com leve vantagem para o Shogun. Os dois atletas trocaram e acertaram bons golpes durante toda a luta, incluindo socos, chutes e joelhadas, com um knockdown para cada lado, além de a luta também ter se desenvolvido um pouco no chão, com ambos atletas tentando finalizações, luta que acabou sendo um verdadeiro teste para o chão do Shogun, que provou ser um lutador completo, devido ao excelente Jiu-Jitsu do Minotouro. Quando o baiano estava no chão, Shogun tentava aplicar muitos de seus pulos característicos para dar pisões seguidos de tiros de metas, mas Minotouro bloqueava bem com as pernas, além de o Shogun ter conseguido aplicar alguns bonitos socos voadores quando o baiano estava no chão. Uma das principais vantagens do Shogun em cima do Minotouro, é que o Shogun conseguiu aplicar muitas quedas no baiano, abrindo leve vantagem na pontuação. Na decisão por pontos, Mauricio Shogun venceu por decisão unânime e sem nenhum protesto da equipe do rival, e com esta vitória, o curitibano iria participar do evento onde aconteceriam as semifinais e a grande final no mesmo dia.

Semi-final / PRIDE Final Conflict 2005 – Na Semifinal, ocorrida Agosto de 2005, Shogun enfrentou o holandês Alistair Overeem, que assim como Shogun, só tinha pegado pedreira e vencido.

Nas oitavas-de-final, o holandês eliminou o fenômeno brasileiro Vitor Belfort, e nas quartas-de-final passou pelo duríssimo ex-campeão dos pesos-pesados do PRIDE, o ucraniano Igor Vovchanchyn, que havia descido de peso, ambos vencidos com uma guilhotina, apesar de Overeem ser um especialista em Muay Thai. A luta foi dura para Shogun, Overeem usava seu excelente Muay Thai, e por ser muito mais alto que o Shogun e ter uma envergadura muito maior, dificultava a vida do Shogun na trocação em pé. Shogun tentava levar o holandês para o chão, mas Overeem mostrou ter uma base muito forte e frustrava todas as tentativas do brasileiro. Até que em uma destas tentativas, os dois foram para o chão com a guilhotina do holandês encaixada de forma muito justa no pescoço do brasileiro, durante alguns segundos, todos tinham a certeza que não tinha como escapar, mas Shogun resistiu e conseguiu tirar a cabeça da posição, e melhor, ainda ficou por cima do desgastado Overeem, que tinha feito muita força tentando finalizar o brasileiro. Daí para frente, só deu Shogun que tava sobrando no gás, Overeem ainda conseguiu se levantar, mas cansado, não conseguiu evitar de ser derrubado novamente, Shogun estabilizou a posição na meia-guarda e castigou o holandês com cotoveladas no corpo e joelhadas nas costelas e na cabeça. Shogun conseguiu montar e ainda bloquear um dos braços de Overeem com o joelho, para depois socar muito o holandês com o juiz tendo que interromper e declarar nocaute técnico no primeiro round para Shogun, que depois de todo o sufoco, mandou o arrogante holandês para o hospital, com a boca toda rasgada e nariz quebrado. Shogun voltou para o vestiário para descansar, porque poucas horas depois ele iria lutar a grande final do torneio.

Final / PRIDE Final Conflict 2005 – Na grande final, ocorrida em Agosto de 2005, Shogun enfrentou mais um integrante da Brazilian Top Team, o excelente praticante de Jiu-Jitsu Ricardo Arona, que havia derrotado seu arqui-inimigo e companheiro de treinos de Shogun Wanderlei Silva naquele mesmo dia. O clima era muito tenso devido a rivalidade entre as duas equipes Chute Boxe e Brazilian Top Team, já dentro do ringue antes de começar a luta, Paulo Filho que estava no corner de Arona, fazia provocações apontando para Shogun e indicando dois a zero com os dedos da mão, por causa da outra semifinal onde Ricardo Arona havia derrotado Wanderlei Silva da equipe Chute Boxe, marcando um a zero para a Brazilian Top Team. Ao começar a luta, Mauricio Shogun teve sua melhor atuação desde que havia destruído Quinton Jackson nas oitavas-de-final. Os dois atletas ficaram se estudando no meio do ringue, e na primeira ação da luta, Shogun pulou e arriscou uma bonita giratória que acabou passando no vazio, Arona tentou golpear e os dois se chocaram indo para o chão, Shogun saiu para a homoplata e Arona escapou por pouco. Imprimindo um ritmo de luta impressionante, Shogun derrubou Arona e deu um de seus pulos para tentar o pisão na cabeça de Arona, que conseguiu bloquear com as pernas fazendo com que Shogun caísse em cima dele, Shogun ainda desferiu algun socos em Arona, levantou rapidamente e tentou dar um tiro de meta que passou no vazio e permitiu que Arona levantasse. Com os dois de pé, Shogun logo partiu para cima de novo e acertou um soco na cabeça de Arona, entrou no clinch e acertou muitas joelhadas nas costelas do atleta da Brazilian Top Team, que não conseguia fazer outra coisa a não ser tentar derrubar Shogun, depois do início de luta eletrizante do chute boxer.

Shogun-vs-Arona
Shogun-vs-Arona

Os dois acabaram caindo, mas Arona não conseguiu prender Shogun no chão, e os dois acabaram levantando rapidamente, e ficando no clinch alguns segundos apenas trocando algumas joelhadas. Shogun conseguiu aplicar uma boa queda em Arona e ficou na meia guarda desferindo boas cotoveladas no corpo e joelhadas nas costelas e na cabeça, quando Shogun tentou a montada, Arona explodiu e Shogun se levantou, Arona continuou no chão. Ousado como sempre, Shogun tentou um de seus pulos para dar o pisão em Arona que estava no chão, e se defendeu bem bloqueando com as pernas, na segunda tentativa, Shogun entrou direto com o pisão, Arona conseguiu desviar a cabeça, mas ficou por baixo de Shogun e desprotegido, Shogun aplicou 5 socos no rosto de Arona que acabou apagando. Com exatos 2 minutos e 54 segundos do primeiro round, Maurício “Shogun” Rua derrotou Ricardo Arona com uma atuação espetacular e arrazadora, se tornando o grande campeão meio-pesado do Pride GP 2005. Todo o corner da Chute Boxe invadiu o ringue e pulou em cima de Shogun, que logo depois gritou para Paulo Filho e apontou o dedo de forma irônica fazendo sinal de jóia, e criando ainda mais tensão entre as duas equipes dentro do ringue. A performance de Shogun durante todo o torneio foi realmente fenomenal, o lutador de 23 anos se tornou o meio-pesado mais temido do mundo e foi eleito o lutador do ano pelo Sherdog.com.

Maurício “Shogun” Rua lutaria de novo no Pride 31, em Fevereiro de 2006, contra o ex-campeão dos pesos pesados do UFC e do PRIDE, e futuro membro do hall da fama do UFC Mark Coleman, onde Shogun conheceria sua segunda derrota, não por ter sido superado como lutador, mas por uma fatalidade.

Shogun voltou a lutar meses depois, em Setembro de 2006, contra o kickboxer francês Cyrille “The Snake” Diabate. No início da luta Shogun partiu para a trocação, e foi quando Diabate se mostrou um ótimo striker fazendo valer sua maior envergadura, e desferindo um bom e perigoso chute alto e uma joelhada voadora na guarda do brasileiro, além de ter acertado bons e rápidos diretos no rosto de Shogun, que fez valer toda sua experiência e por ser mais “completo” que Diabate, aplicando uma boa queda e botando o francês para baixo e trabalhando o chão por alguns minutos. Quando Diabate conseguia se levantar, não demorava até Shogun botá-lo para baixo de novo, e por fim, Shogun aplicou seus característicos pulos acertando muitos pisões no rosto e na cabeça do francês, além de emendar um tiro de meta no rosto e voltar a dar mais um forte pisão no rosto de Diabate, encerrando a luta em grande estilo ainda no primeiro round.

No Pride 32, que ocorreu em Outubro de 2006, Shogun enfrentou o ex-campeão do UFC Kevin Randleman, companheiro de treinos de Mark Coleman. Nos primeiros segundos de luta, Randleman levou Shogun para o chão aplicando um Double Leg, Shogun não perdeu tempo e aplicou uma chave de perna no americano, que gritava de dor mas não queria bater para desistir e resistiu muito naquela posição, mas acabou sendo finalizado aos 2 minutos e 35 segundos do primeiro round.

Em Dezembro de 2006, Shogun enfrentou o japonês Kazuhiro Nakamura, e pela segunda vez em sua carreira, a luta foi decidida por pontos com vitória do brasileiro.

A despedida de Shogun do envento japonês foi com um golpe espetuacular, quando Overeem estava no chão, Shogun levantou e arriscou dois bonitos socos voadores com o holandês ainda no chão, o primeiro acertou, mas não em cheio, então Shogun se levantou e tentou de novo, acertando em cheio um bonito e forte soco voador no queixo do holandês que ficou grogue, Shogun aproveitou e desferiu diversos socos no holandês ganhando por nocaute técnico antes dos quatro minutos do primeiro round.

Com o fim do ciclo de Shogun no Pride, ele foi ranqueado como número um do mundo na categoria meio-pesado pela Nokaut, Sherdog, e MMAWeekly.com.

3.8 -Quinton “Rampage” Jackson

Rampage
Rampage

Quinton Jackson Ramone (Memphis, 20 de junho de 1978), também conhecido como Rampage Jackson, é um lutador americano de MMA e ator. Ele é ex-campeão mundial dos meio-pesados do UFC. Jackson ganhou destaque no Japão no evento Pride Fighting Championships, onde ele era conhecido pela sua grande força física, sendo capaz de erguer um homem apenas com os antebraços, e pelos seus golpes de bate estaca, movimentos que se tornaram suas marcas registradas após o nocaute sensacional em Ricardo Arona. Sua marca tradicional é a corrente em volta de seu pescoço, usada antes e depois das lutas.

Nos Estados Unidos, ele luta atualmente no Ultimate Fighting Championship (UFC). Jackson foi primeiro lutador a unificar o cinturão do UFC com o cinturão do Pride, derrotando Dan Henderson o campeão mundial dos pesos médios do Pride em 2007. Desde 2006, Jackson encontra-se entre os 5 melhores Meio Pesados do Mundo. Ele tem vitórias notáveis sobre Chuck Liddell, duas vezes, Wanderlei Silva, Igor Vovchanchyn, Murilo Bustamante, Kevin Randleman, Mike Pyle, Ricardo Arona, Murilo Rua, Keith Jardine, Dan Henderson, Matt Lindland, e Lyoto Machida. Jackson já foi treinado por Juanito Ibarra, antigo e famoso treinador de boxe que já treinou lutadores como o “Golden Boy” Oscar de La Hoya e o brasileiro Vitor Belfort. Hoje em dia, treina na Wolfslair Gym, local de treinamento de outros lutadores, como Michael Bisping.

Apesar das boas vitórias, os grandes êxitos iniciais de sua carreira foram longe de sua terra natal, mas sim na organização japonesa o Pride, lá Jackson alcançaria a sua fama mundial como lutador de MMA. Entrando no Pride em 2001, os japoneses originalmente comercializaram a imagem de Jackson como um lutador de rua. Jackson, ainda um desconhecido lutador, teve seu primerio desafio no Pride 15 contra o superstar wrestler japonês Kazushi Sakuraba, que era naquela época o orgulho nacional. Jackson perdeu por um mata-leão, mas seu grande desempenho abriu os olhos de fãs e da gerência do evento.

Após derrotar Alexander Otsuka por nocaute técnico (interrupção médica) no evento Battlarts, Jackson foi convidado a voltar a lutar pelo Pride no Pride 17, onde derrotou o parceiro de treino de Otsuka, Yuki Ishikawa por nocaute. Em sua luta seguinte, Jackson foi desclassificado por um golpe baixo contra o Daijiro Matsui.

Após alternar resultados, Jackson decidido a se tornar um grande nome no evento, passou a se dedicar a trocação em seus treinamentos, como conseqüência, Jackson conseguiu 5 vitórias consecutivas, nocauteando Masaaki Satake, Sean Gray, e o ex-campeão dos pesos pesados do UFC Kevin Randleman, e derrotando por submissão Mikhail Illoukhin e Igor Vovchanchyn.

Após 5 vitórias consecutivas no MMA e duas vitórias no kickboxing, Jackson começou a revelar que tinha intenção de lutar contra Wanderlei Silva pelo cinturão dos pesos médios do Pride. Na rodada de abertura do Grand Pix dos Pesos Médios do Pride 2003, Jackson venceu por decisão dividida o faixa preta de jiu-jitsu e ex-campeão dos médios do UFC Murilo Bustamante. Três meses depois, Jackson enfrentou o lutador do UFC Chuck Liddell nas semi-finais no Pride Final Conflict 2003, em uma luta onde Jackson mostrou toda a agressividade de seu wrestling e a violência de seus golpes, o corner de Liddell interrompeu a luta no 2º round.

Rampage Jackson vs. Wanderlei Silva – Após derrotar Liddell, na mesma noite Jackson encarou Wanderlei Silva na Final do Grand Pix dos Pesos Médios do Pride 2003. A luta começou com Jackson procurando diminuir a distância inicial, imediatamente para um double-leg onde pegou Silva e o levantou. Silva, em seguida, fechou a guarda, e encaixou uma guilhotina. Os dois permaneceram nesta posição até que Jackson começou a sentir os efeitos da guilhotina e com calma foi se abaixando junto com Silva.

Depois de ir para o chão, Jackson conseguiu escapar do estrangulamento. Jackson começou a atacar com ground ‘n pound, acertando o corpo de Wanderlei, que respondeu com golpes da guarda. Jackson começou a acertar socos o rosto da Silva, e no último tentou um Juji-gatame, uma variação de Chave de Braço. Silva não conseguindo encaixar o golpe, cedeu a Jackson a posição de 100kg pouco tempo depois. A partir daí, Jackson tentou acertar a cabeça de Silva com socos e ainda tentou golpeá-lo uma joelhada dupla na cabeça (golpe legal sob as regras do Pride).

Jackson passou os próximos 5 minutos trabalhando o ground ‘n pound no corpo de Silva que permanecia com a guarda fechada. O árbitro então decidiu colocar a luta em pé pelo discursso de inatividade no chão. Esta decisão do árbitro é mal-visto por alguns analistas, como Dave Meltzer. Jackson também manifestou o seu desagrado ao se levantar. Sam Caplan, um jornalista de MMA, acrescentou que os árbitros do Pride eram empregados da promoção, e Jackson foi vítima de perseguição pelos funcionários. Se ele estava se referindo especificamente à luta contra o Silva é desconhecido. Logo após a lutar voltar em pé, Silva encaixou um Muay Thai Clinch e desencadeou uma série de precisamente 20 joelhadas no rosto de Jackson. Em um determinado momento das joelhadas, Silva e Jackson sorriram um para o outro, seguindo na seqüência de joelhadas Jackson caiu e sofreu ainda alguns tiros de meta até o árbitro interromper a luta. Silva foi declarado vencedor por nocaute técnico aos 6:28 do 1º round e se tornou o Campeão dos Grand Pix dos Peso Médios do Pride 2003.

Jackson continuou a sua carreira no Pride, dessa vez com o objetivo de ter uma revanche contra Wanderlei Silva. Primeiramente nocauteou Ikuhisa Minowa mostrando sua versatilidade na trocação aonde nocauteou seu adversário com joelhadas. Em seguida encarou “The Brazilian Tiger” Ricardo Arona. No combate Jackson não mostrando respeito pelo forte jiu-jitsu de Arona, o derrubou buscando o ground ‘n pound, porém Jackson foi surpreendido com um triângulo, mostrando toda sua força Jackson ergueu Arona pelos braços e em um ângulo de 90° aplicou um fortíssimo bate estaca que nocauteou Arona. O golpe ficou mundialmente conhecido como Powerbomb Slam, um golpe de WWE que foi pela primeira vez usado em um grande evento de MMA. Depois de duas grandes vitórias, Rampage Jackson conseguiu sua revanche contra Wanderlei Silva.

Rampage Jackson vs. Wanderlei Silva 2 – A primeira revanche aconteceu em 31 de outubro de 2004 no Pride 28: High Octane. O local escolhido para a luta foi o Saitama Super Arena, em Saitama, no Japão, com uma platéia de 24.028. Desta vez, o cinturão dos Pesos Médios do Pride de Silva estava em jogo.

A segunda luta começou com Jackson se aproximando e clinchando com Silva. Os dois trocaram golpes desta posição antes de se separarem. Jackson seguiu jogando desferindo algumas séries de socos e uma joelhada. Na metade do 1 º round, Silva jogou uma seqüência de socos e no Muay Thai Clinch Silva certou algumas joelhadas até empurrar Jackson contra as cordas. Jackson encurralado conseguiu abrir espaço no clinch para derrubar Silva.

Jackson começou a desferir seu forte ground ‘n pound, porém não foi muito efetivo, Silva buscando espaços para tentar encaixar alguma finalização acabou sendo também pouco efetivo. O árbitro parou o combate no chão e reiniciou a luta em pé devido à inatividade. Silva reabriu a ação com uma combinação de socos e pontapés. Jackson respondeu com um direto de direita, que desequilibrou Silva. Jackson caiu dentro procurando terminar, porém, Silva conseguiu fechar a guarda e evitar os fortes golpes do Rampage. Jackson conseguiu a posição de 100 kg e acertou vários socos e joelhadas na cabeça de Silva até o final do round.

O segundo round começou com os dois lutadores trocando alguns golpes. Silva, então, tentou uma queda, porém, Jackson foi preciso no sprawl, na seqüência Silva se virou fazendo guarda e os dois permaneceram pouco tempo no chão, até o árbitro mandarem eles se levantarem. Na volta do combate em pé, Silva conseguiu um gancho de direita no rosto de Jackson, Jackson sentindo o golpe tentou o contra-ataque contra as cordas. Silva fechou a distância e garantiu um clinch de Muay Thai. A partir daqui, Silva acertou 5 joelhadas na cabeça de Jackson, fazendo-o cair nas cordas, inconsciente e com sangue escorrendo de seu rosto. Silva foi declarado vencedor por Nocaute aos 3:26 do 2º round e se manteve como Campeão dos Peso Médios do Pride. A luta foi eleita a “Luta do Ano” pela Wrestling Observer Newsletter awards.

Rampage-vs-Wanderlei
Rampage-vs-Wanderlei

Após perder para Wanderlei, Rampage encarou em seqüência dois parceiros de treino de Silva na Chute Boxe. Ele venceu por decisão dividida Murilo “Ninja” Rua, mas caiu frente ao irmão mais novo Mauricio “Shogun” Rua no Grand Pix dos Pesos Médios do Pride 2005, onde no início do combate Rua quebrou vários costelas de Jackson e em seguida aplicou um chute na cabeça derrubando Rampage, que ainda recebeu no chão fortes tiros de meta na cabeça que o levou a nocaute técnico, em uma luta analisada como fácil para Shogun.

Jackson foi duramente criticado por seus treinadores após a derrota constrangedora para Shogun. Logo depois, Jackson foi contactado pelo boxer veterano e treinador de MMA Juanito Ibarra, que viu potencial em habilidades naturais de Jackson, mas viu sua a reputação e carreira de ir por água abaixo. Após uma breve conversa, Jackson confiou Ibarra, a formação e orientação de gestão da sua carreira.

Antes de sair do Pride, Rampage ainda nocauteou de maneira técnica o japonês Hirotaka Yokoi e venceu por decisão unânime o coreano Dong Sik Yoon.

3.9 – Mark “The Hammer” Coleman

The Hammer
The Hammer

Nascido em 20 de dezembro de 1964, ele é famoso pela sua carreira de wrestling amador e seu poderoso ground and pound (técnica levada ao MMA por ele). Já foi campeão do UFC, tendo também participações no PRIDE. Já ganhou de nomes como Maurício Shogun, Dan Severn e Igor Vovchanchyn. Venceu o PRIDE 2000 Openweight GP Final.








3.10 – Takanori Gomi

Takanori Gomi
Takanori Gomi

Nasceu em 22 de setembro de 1978, atualmente luta no Ultimate Fighting Championship. Gomi é um ex-Campeão dos Meio-Médios do Shooto e foi o último detentor do cinturão dos Pesos Leves do extinto Pride Fighting Championships. Ele também é Tetra-Campeão do All Japan Combat Wrestling. Muito antes de sua derrota por virada para Sergey Golyaev ele era conhecido como o melhor peso leve do mundo.





3.11 -Igor Yaroslavovich Vovchanchyn

Igor Vovchanchyn
Igor Vovchanchyn

Nasceu em 6 de agosto de 1973, Igor estréia no Vale-Tudo mundial, numa época em que era dominado por atletas de lutas de torções, imperava o Jiu-Jitsu, seguido pelas lutas Romana, Wrestling e Luta Livre.

De início, foi notado seu agressivo poder com as mãos, e também conhecido pela célebre frase: “Quebro os adversários ou quebro as mãos”. O lutador compensava sua pouca habilidade nas lutas de solo, com rápidas defesas de queda.

Foi campeão do PRIDE World Grand Prix 2000.


3.12 – Kevin “The Monster” Randleman

Kevin Randleman
Kevin Randleman

Kevin Christopher Randleman nasceu em 10 de agosto de 1971, o estilo de luta de Randleman é o freestyle wrestling. Randleman foi campeão de wrestling duas vezes pela Universidade de Ohio. Já foi campeão dos pesos-pesados no UFC e fez lutas históricas no Pride principalmente contra Fedor Emelianenko e contra o croata Mirko Cro Cop.

Randleman é conhecido pelo seu físico atlético, velocidade e explosão. Ele luta pela mesma equipe que Mark Coleman: Team Hammer House. Sempre bem preparado fisicamente, é ágil e muito forte, por isso é um perigo para qualquer adversário desavisado. Entre eles, está Mirko “Cro Cop” Filipovic, em que numa entrevista pouco antes de sua primeira luta contra Kevin, deixou entender que Randleman era mais um adversário que iria sucumbir ao seu potente chute de esquerda. Kevin se antecipou e desferiu um devastador soco mandando Cro Cop por terra, restando apenas “marteladas” para liquidar em poucos segundos, um dos lutadores mais temidos do MMA.

3.13 – Mark Hunt

Mark Hunt
Mark Hunt

Nasceu em 23 de março de 1974, é um lutador de kickboxing e de artes marciais mistas da Nova Zelândia. Iniciou sua carreira de lutados por acaso quando saia de uma boate e foi surpreendido por um agressor, onde se defendeu com muita técnica, o segurança da boate ao ver seu desempenho na luta o despertou o interesse. Mark Hunt representa a Liverpool Kickboxing no Pride e já representou no K1 também, Mark Hunt tem vários títulos acumulados no K1.

Sendo bem observado pelos organizadores do Pride, Mark Hunt foi convidado a participar do maior evento de MMA do mundo. Na sua estréia foi derrotado por finalização por Yoshida, o que não deixou de ser um espetáculo, já que Hunt havia se defendido muito bem no chão. No decorrer de sua trajetória no Pride, Hunt evoluiu e conseguiu impor seu jogo de trocação ao passo que se defendia das investidas técnicas de chão; o que lhe rendeu vitórias espetaculares, entre elas, sobre Wanderlei Silva e Mirko Cro Cop, ambos lutadores de renome e muito perigosos. Tendo um biotipo avantajado, Hunt costuma surpreender pela sua resistência e agilidade, mesmo pesando mais de 110 KG. Sabe controlar muito bem a respiração e economizar suas reservas de energia, fica plantado focando seu adversário, levantando o calção, descansando os braços, mas, está preparado para qualquer reação súbita, seja para o ataque ou defesa; mantendo esse ritmo até o fim da luta se for necessário.

4- Torneios

Pride 1
Pride 1

- Evento: PRIDE 1
- Título: PRIDE 1
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/11/1997
- Local: Tokyo Dome, Tokyu, Japan

PRIDE 1
PRIDE 1


Pride 2
Pride 2

- Evento: PRIDE 2
- Título: PRIDE 2
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 3/15/1998
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE 2
PRIDE 2


Pride 3
Pride 3

- Evento: PRIDE 3
- Título: PRIDE 3
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/24/1998
- Local: Nippon Budokan, Japan

PRIDE 3
PRIDE 3


Pride 4
Pride 4

- Evento: PRIDE 4
- Título: PRIDE 4
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/11/1998
- Local: Tokyo Dome, Tokyo, Japan

PRIDE 4
PRIDE 4


Pride 5
Pride 5

- Evento: PRIDE 5
- Título: PRIDE 5
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/29/1999
- Local: Nagoya Rainbow Hall, Nagoya, Japan

PRIDE 5
PRIDE 5


NOME DA IMAGEM
NOME DA IMAGEM

- Evento: PRIDE 6
- Título: PRIDE 6
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 7/4/1999
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE 6
PRIDE 6


Pride 7
Pride 7

- Evento: PRIDE 7
- Título: PRIDE 7
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 9/12/1999
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE 7
PRIDE 7


Pride 8
Pride 8

- Evento: PRIDE 8
- Título: PRIDE 8
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 11/21/1999
- Local: Ariake Colosseum, Japan

PRIDE 8
PRIDE 8


Grand Prix Opening Round 2000
Grand Prix Opening Round 2000

- Evento: PRIDE Grand Prix 2000 – Opening Round
- Título: Opening Round
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 1/30/2000
- Local: Tokyo Dome, Tokyo, Japan

PRIDE Grand Prix 2000 - Opening Round
PRIDE Grand Prix 2000 - Opening Round


Grand Prix Finals 2000
Grand Prix Finals 2000

- Evento: PRIDE Grand Prix 2000 – Finals
- Título: Finals
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 5/1/2000
- Local: Tokyo Dome, Tokyo Japan

PRIDE Grand Prix 2000 - Finals
PRIDE Grand Prix 2000 - Finals


Pride 9
Pride 9

- Evento: PRIDE 9
- Título: New Blood
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/4/2000
- Local: Nagoya Rainbow Hall, Nagoya, Aichi, Japan

PRIDE 9
PRIDE 9


Pride 10
Pride 10

- Evento: PRIDE 10
- Título: Return of the Warriors
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 8/27/2000
- Local: Seibu Dome, Tokyo, Japan

PRIDE 10
PRIDE 10


Pride 11
Pride 11

- Evento: PRIDE 11
- Título: Battle of the Rising Sun
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/31/2000
- Local: Osaka Castle Hall, Osaka, Japan

PRIDE 11
PRIDE 11


Pride 12
Pride 12

- Evento: PRIDE 12
- Título: Cold Fury
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/9/2000
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE 12
PRIDE 12


Pride 13
Pride 13

- Evento: PRIDE 13
- Título: Collision Course
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 3/25/2001
- Local: Saitama Super Arena, Japan

PRIDE 13
PRIDE 13


Pride 14
Pride 14

- Evento: PRIDE 14
- Título: Clash of the Titans
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 5/27/2001
- Local: Yokohama Arena in Kanagawa, Japan

PRIDE 14
PRIDE 14


Pride 15
Pride 15

- Evento: PRIDE 15
- Título: Raging Rumble
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 7/29/2001
- Local: Saitama Super Arena in Saitama, Japan

PRIDE 15
PRIDE 15


Pride 16
Pride 16

- Evento: PRIDE 16
- Título: Beasts From The East
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 9/24/2001
- Local: Osaka Castle Hall in Osaka, Japan

PRIDE 16
PRIDE 16


Pride 17
Pride 17

- Evento: PRIDE 17
- Título: Championship Chaos
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 11/3/2001
- Local: Tokyo Dome, Tokyo, Japan

PRIDE 17
PRIDE 17


Pride 18
Pride 18

- Evento: PRIDE 18
- Título: Cold Fury 2
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/23/2001
- Local: Marine Messe Arena, Fukuoka, Japan

PRIDE 18
PRIDE 18


Sem Imagem
Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

- Evento: PRIDE
- Título: The Best Vol. 1
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/22/2002
- Local: Korakuen Hall, Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 19
Pride 19

- Evento: PRIDE 19
- Título: Bad Blood
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/24/2002
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE 19
PRIDE 19


Sem Imagem
Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

- Evento: PRIDE
- Título: Pre-PRIDE 4
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 3/17/2002
- Local: I-Land Hall, Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 20
Pride 20

- Evento: PRIDE 20
- Título: Armed and Ready
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/28/2002
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE 20
PRIDE 20


Pride 21
Pride 21

- Evento: PRIDE 21
- Título: Demolition
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/23/2002
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE 21
PRIDE 21


Sem Imagem
Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

- Evento: PRIDE
- Título: The Best Vol. 2
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 7/20/2002
- Local: Differ Ariake Arena, Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Shockwave 2002
Pride Shockwave 2002

- Evento: PRIDE
- Título: Shockwave
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 8/28/2002
- Local: National Stadium, Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 22
Pride 22

- Evento: PRIDE 22
- Título: Beasts From The East 2
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 9/29/2002
- Local: Nagoya Rainbow Hall, Nagoya, Japan

PRIDE 22
PRIDE 22


Sem Imagem
Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

Sem Imagem

- Evento: PRIDE
- Título: The Best Vol. 3
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/20/2002
- Local: Differ Ariake Arena,Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 23
Pride 23

- Evento: PRIDE 23
- Título: Championship Chaos 2
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 11/24/2002
- Local: Tokyo, Japan

PRIDE 23
PRIDE 23


Pride 24
Pride 24

- Evento: PRIDE 24
- Título: Cold Fury 3
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/23/2002
- Local: Japan

PRIDE 24
PRIDE 24


Pride 25
Pride 25

- Evento: PRIDE 25
- Título: Body Blow
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 3/16/2003
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE 25
PRIDE 25


Pride 26
Pride 26

- Evento: PRIDE 26
- Título: Bad to the Bone
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/8/2003
- Local: Tokyo, Japan

PRIDE 26
PRIDE 26


Pride Total Elimination 2003
Pride Total Elimination 2003

- Evento: PRIDE
- Título: Total Elimination 2003
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 8/10/2003
- Local: Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 1
Pride Bushido 1

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 1
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/5/2003
- Local: Saitama Super ArenaSaitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Final Conflict 2003
Pride Final Conflict 2003

- Evento: PRIDE
- Título: Final Conflict 2003
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 11/9/2003
- Local: Tokyo Dome, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Shockwave 2003
Pride Shockwave 2003

- Evento: PRIDE
- Título: Shockwave 2003
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/31/2003
- Local: Saitama Super Arena in Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 27
Pride 27

- Evento: PRIDE 27
- Título: Inferno
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/1/2004
- Local: Osaka Castle Hall, Japan

PRIDE 27
PRIDE 27


Pride Bushido 2
Pride Bushido 2

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 2
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/15/2004
- Local: Yokohama Arena in Yokohama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Total Elimination 2004
Pride Total Elimination 2004

- Evento: PRIDE
- Título: Total Elimination 2004
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/25/2004
- Local: Saitama Super Arena Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 3
Pride Bushido 3

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 3
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 5/23/2004
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Critical Countdown 2004
Pride Critical Countdown 2004

- Evento: PRIDE
- Título: Critical Countdown 2004
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/20/2004
- Local: Saitama Super Arena, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 4
Pride Bushido 4

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 4
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 7/19/2004
- Local: Nagoya Rainbow Hall in Nagoya, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Final Conflict 2004
Pride Final Conflict 2004

- Evento: PRIDE
- Título: Final Conflict 2004
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 8/15/2004
- Local: Saitama Super Arena, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 5
Pride Bushido 5

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 5
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/14/2004
- Local: Osaka, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 28
Pride 28

- Evento: PRIDE 28
- Título: High Octane
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/31/2004
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE 28
PRIDE 28


Pride Shockwave 2004
Pride Shockwave 2004

- Evento: PRIDE
- Título: Shockwave 2004
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/31/2004
- Local: Saitama Super Arena in Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 29
Pride 29

- Evento: PRIDE 29
- Título: Fists Of Fire
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/20/2005
- Local: Saitama Super Arena in Saitama, Japan

PRIDE 29
PRIDE 29


Pride Bushido 6
Pride Bushido 6

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 6
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/3/2005
- Local: Yokohama Arena, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Total Elimination 2005
Pride Total Elimination 2005

- Evento: PRIDE
- Título: Total Elimination 2005
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/23/2005
- Local: Osaka Dome, Osaka, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 7
Pride Bushido 7

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 7
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 5/22/2005
- Local: Differ Ariake Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Critical Countdown 2005
Pride Critical Countdown 2005

- Evento: PRIDE
- Título: Critical Countdown 2005
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/26/2005
- Local: Saitama Super Arena Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 8
Pride Bushido 8

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 8
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 7/17/2005
- Local: Nagoya Rainbow Hall, Nagoya, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Final Conflict 2005
Pride Final Conflict 2005

- Evento: PRIDE
- Título: Final Conflict 2005
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 8/28/2005
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido 9
Pride Bushido 9
>

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 9
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 9/25/2005
- Local: Ariake Colosseum, Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 30
Pride 30

- Evento: PRIDE 30
- Título: Fully Loaded
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/23/2005
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE 30
PRIDE 30


Pride Shockwave 2005
Pride Shockwave 2005

- Evento: PRIDE
- Título: Shockwave 2005
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/31/2005
- Local: Saitama Super Arena, Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 31
Pride 31

- Evento: PRIDE 31
- Título: Dreamers
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/26/2006
- Local: Saitama Super Arena,Saitama, Japan

PRIDE 31
PRIDE 31


Pride Bushido 10
Pride Bushido 10

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 10
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/2/2006
- Local: Ariake Colosseum, Tokyo, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Total Elimination Absolute 2006
Pride Total Elimination Absolute 2006

- Evento: PRIDE
- Título: Total Elimination Absolute
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 5/5/2006
- Local: Osaka Dome, Osaka, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Bushido Survival 2006
Pride Bushido Survival 2006

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 11
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 6/4/2006
- Local: Saitama Super Arena,Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Critical Countdown Absolute 2006
Pride Critical Countdown Absolute 2006

- Evento: PRIDE
- Título: Critical Countdown Absolute
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 7/1/2006
- Local: Saitama Super Arena,Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Bushido 12
Bushido 12

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 12
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 8/26/2006
- Local: Nagoya Rainbow Hall, Nagoya, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Final Conflict Absolute 2006
Pride Final Conflict Absolute 2006

- Evento: PRIDE
- Título: Final Conflict Absolute
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 9/10/2006
- Local: Saitama Super Arena,Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 32
Pride 32

- Evento: PRIDE 32
- Título: The Real Deal
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 10/21/2006
- Local: Thomas Mack Center, Las Vegas, Nevada

PRIDE 32
PRIDE 32


<

Pride Bushido Survival Finals 2006
Pride Bushido Survival Finals 2006

- Evento: PRIDE
- Título: Bushido 13
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 11/5/2006
- Local: Yokohama Arena,Yokohama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride Shockwave 2006
Pride Shockwave 2006

- Evento: PRIDE
- Título: Shockwave 2006
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 12/31/2006
- Local: Saitama Super Arena,Saitama, Japan

PRIDE
PRIDE


Pride 33
Pride 33

- Evento: PRIDE 33
- Título: Second Coming
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 2/24/2007
- Local: Thomas Mack Center, Las Vegas, Nevada

PRIDE 33
PRIDE 33


Pride 34
Pride 34

- Evento: PRIDE 34
- Título: Kamikaze
- Organização: PRIDE Fighting Championships
- Data: 4/8/2007
- Local: Saitama Super Arena,Saitama, Japan

PRIDE 34
PRIDE 34

5- Histórias, bastidores & tretas

6- Etrances & Highlight’s

7- PRIDE, o fim de uma era no VALE-TUDO

JM vs KF
JM vs KF

A imagem de Fujita sendo abatido por Monson num ringue montado no Saitama Super Arena, em Saitama, Japão, retrata a derrota do maior evento de vale-tudo japonês, o Pride F.C, para o Ultimate Fighting Championship (UFC), dos Estados Unidos.

Travado quatro anos atrás, o combate entre Monson e Fujita se tornou especialmente histórico porque marcou o fim da era Pride. O dia 08 de abril de 2007 será sempre uma data nostálgica para quem acompanhou esse torneio japonês, um dos maiores espetáculos esportivos da terra.

Monson representava o UFC. Fujita, o Pride. O marketing da luta girou em torno do duelo entre as duas organizações promotoras de vale-tudo, esporte chamado em todo mundo de MMA (sigla em inglês para misturas de artes marciais).

Entretanto, a briga para valer entre UFC e Pride acontecia por de trás das cortinas e, de preferência, longe da mídia. Desde o momento de inauguração do Pride, em 1997, as duas organizações sempre se engalfinharam para saber quem tinha os melhores lutadores e maior prestígio no circuito de lutas.

A disputa esquentou partir de 2004 quando o UFC, que existe desde 1993, passou a gerar lucros formidáveis embalado pelo sucesso do seu reality show. Hoje em dia uma única edição do UFC vende mais de US$ 150 milhões só em pay-per-view (sistema de compras pela TV à cabo).

No dia 27 de março de 2007, duas semanas antes do combate entre Monson e Fujita, o presidente do Pride, Nobuyuki Sakakibara, anunciou a venda do evento japonês para os donos do UFC, os irmãos Ferttitas. Pouco depois assumiu em uma entrevista que o mercado americano era pelo menos 10 vezes maior do que o japonês e não teria como competir por muito tempo contra eles.

A derrota de Fujita representou a última pá de terra sobre o Pride. O evento vinha em decadência desde junho de 2006 quando perdeu seu contrato com a rede de TV Fuji Network – uma das maiores do Japão.

Segundo o tablóide japonês Shukan Gendai, o fim do contrato com a Fuji se deu por conta da suspeita do envolvimento de dirigentes do Pride com a yakuza, famosa máfia japonesa.

Em janeiro de 2003, portanto três anos antes das notícias negativas serem publicadas no tablóide, o então presidente do Pride Naoto Morishita foi encontrado morto com uma corda no pescoço. A polícia concluiu que Naoto se suicidou depois de sua namorada romper relações com ele. Porém nunca cessaram os rumores de que sua morte teria sido encomendada.

Verdade ou não, o fato é que em 2006 o Pride passou a ser veiculado apenas pela SKY PerfecTV, no sistema a pay-per-view. E perdeu boa parte de seus patrocinadores, a verdadeira fonte de sua renda.

Ainda assim o evento japonês acabou vendido para o UFC por algo em torno de US$ 70 milhões. A negociação começou em março de 2007 e se arrastou por dois meses. Sakakibara só bateu o martelo no fim de maio.

PRIDE-UFC
PRIDE-UFC

O UFC comprou o Pride com a promessa de continuar a tocar o evento. O que nunca aconteceu.

Em agosto de 2007, Dana White, presidente do UFC, deu os primeiros sinais de que nunca mais haveria uma nova edição do Pride. Segundo o promotor de lutas, nenhuma TV do Japão estaria interessada em fechar contrato com eles. Era como se não quisessem os americanos do UFC por lá, disse Dana.

Ainda em 2007, boa parte dos atletas do Pride migrou para o UFC. Depois de Monson bater Fujita, Dana aplicava seu golpe derradeiro. Com a aquisição das estrelas do Pride e a falência do rival japonês, o UFC passou a reinar sozinho no promissor mercado de vale-tudo.

O Pride surgiu em 1997 como um evento de uma noite só. Chamava-se KRS (Kakutougi Revolution Spirits) Pride. A ideia era casar uma luta entre a estrela do pró-wrestiling japonês Nobuhiko Takada e o brasileiro mestre em jiu-jitsu Rickson Gracie.

NT vs RG
NT vs RG

A vitória do Gracie diante de 47 mil pessoas no Tóquio Dome aumentou a mística em torno do jiu-jitsu e de Rickson e impulsionou o vale-tudo no Japão. O sucesso do primeiro Pride encorajou seus dirigentes a promover novas edições do evento. Sakakibara diria anos depois que se Rickson tivesse sido derrotado por Takada, o Pride não teria passado da primeira edição.

A partir de sua segunda edição, o Pride limou o KRS e acrescentou o Fighting Championships, tornado-se conhecido como a série de lutas Pride F.C.

Em 98, mais uma vez casaram um combate entre Rickson e Takada. O brasileiro venceu com um estrangulamento. Dois anos depois seu irmão Royce Gracie participou do primeiro torneio de lutas do Pride. Um dos mais importantes da história do vale-tudo. Para sagrar-se campeão, o lutador teria que vencer quatro combates, três deles numa mesma noite.

Além de Royce participaram do evento a maior estrela do Japão no vale-tudo, Kazushi Sakuraba, o ex-campeão peso-pesado do UFC, Mark Coleman, o também campeão do UFC Mar Kerr, o ucraniano Igor Vovchanchyn e o veterano Fujita entre outras feras.

PFC 2000
PFC 2000

A fase final do primeiro torneio do Pride ficou marcada também como o primeiro evento japonês a ser televisionado nos Estados Unidos. Coleman saiu de lá com o cinturão de campeão, para delírio dos fãs norte-americanos.

Nos Estados Unidos as lutas são regulamentadas por comissões atléticas há pelo menos nove anos. Elas proíbem que o lutador faça mais de uma luta por noite. No Japão não há essa regra. O Pride ficou marcado por usar o formato de torneios em parte de seus eventos, os chamados Grand Pix (3 ou 2 lutas na mesma noite).

Além das 34 edições do Pride FC, o evento japonês organizou torneios nos anos 2000 (Coleman campeão), 2003 (Wanderlei Silva campeão meio-pesado), 2004 (Fedor Emilianenko campeão peso-pesado), 2005 (Maurício Shogun Rua nos meio-pesados, Dan Henderson nos médios e Takanori Gomi nos leves) e 2006 (Mirko ‘Cro Cop’ Filipović no absoluto e Kazuo Misaki nos médios).

O Pride também inventou a série chamada Bushido onde lutavam apenas atletas leves (73kg) e médios (83kg). Foram 13 eventos desse tipo. Somados os Bushidos, as edições do Pride, os eventos especiais conhecidos como Shockwave e The Best e ainda os torneios chega-se a um total de 68 edições do evento japonês em 10 anos de história.

Com as entradas dos lutadores sempre triunfais, numa mistura de vale-tudo com o show das competições do pró-wrestiling (combates de marmelada), o Pride se diferenciou do UFC e apostou num formato que casava o espetáculo, o entretenimento, com o esporte. Lutas entre atletas com diferença de peso de mais de 60 quilos não eram incomum no Pride e tinham um forte apelo comercial no Japão.

O formato deu certo por dez anos. Mas ruiu assim que a reputação do evento foi manchada pelas denúncias da aproximação do Pride com a yakuza.

Hoje, parte dos dirigentes do Pride está tocando um novo torneio japonês conhecido como DREAM. Mas a audiência é pífia se comparada à do falecido Pride.

DREAM
DREAM

Preparei (não foi eu) uma lista dos 15 nocautes mais impressionantes da história do Pride, na minha modesta opinião. Está em ordem cronológica. Todas essas lutas são de colar os olhos na tela sem piscar para não perder nenhum golpe.

Também bolei uma lista com 10 atletas que fizeram história no Pride. Usei como critério as conquistas e a importância deles no evento. Para quem quiser conhecer um pouco do maior torneio de vale-tudo japonês é um bom começo.

Seguem as listas:

Nocautes avassaladores em 10 anos de Pride

1 – Igor Vovchanchin x Chicão Bueno – No Pride 8 ocorrido em novembro de 1999 o brasileiro Chicão Bueno foi surpreendido por uma sessão de socos cruzados que o derrubou inconsciente em menos de um minuto e meio.

2 – Gilbert Yvel x Gary Goodridge – O público presente ao Pride 10 disputado em agosto de 2000 viu o holandês Yvel quase arrancar a cabeça de Gary Goodridge com um chute certeiro aos 28 segundos de combate.

3 – Wanderlei Silva x Kazushi Sakuraba I – Uma das lutas mais violentas de todos os tempos. Wanderlei chegou a segurar a cabeça de Sakuraba no chão para aplicar-lhe chutes no rosto. Mesmo assim o japonês só entregou os pontos quando o juiz interrompeu a luta. O combate ocorreu em março de 2001 no Pride 13. Eles ainda se enfrentaram mais duas vezes, sempre com vitória do brasileiro.

4 – Anderson Silva x Carlos Newton – Uma joelhada voadora certeira na hora em que o canadense Newton avançava nas pernas de Anderson, seguido de três socos no rosto deram a vitória para o brasileiro. Um dos bons momentos do Pride 25 de março de 2003.

5 – Cro Cop x Vovchanchin – Em menos de 1 minuto e meio o temido Vovchanchyn acabou nocauteado por um chute violentíssimo que atingiu em cheio sua cabeça. A luta ocorreu em agosto de 2003 pelo Pride Total Elimination.

6 – Wanderlei x Quinto Rampage Jackson I – Em novembro de 2003 na final do Pride Conflict, Wanderlei deu uma surra tão grande em Rampage que chegou a sorrir no fim da luta enquanto socava o rosto do rival já grogue e quase indefeso.

7 – Gary Goodridge x Don Frye – Goodridge não tinha o hábito de chutar e prometera que apenas trocaria socos contra Frye. Mas aos 39 segundos de combate no Pride Shockwave de dezembro de 2003 a canela de Goodridge subiu até a altura do pé da orelha de Frye, levando-o a um nocaute brutal.

8 – Kevin Randleman x Cro Cop – Em menos de dois minutos o público que assistia ao Pride Total Elimination 2004 viu um dos favoritos ao título sair inconsciente do ringue. Cro Cop levou um direto no queixo, em seguida foi derrubado e com uma seção de marretadas no rosto (quando o lutador soca como se tivesse martelando um prego) acabou nocauteado.

9 – Cro Cop x Aleksander Emelianenko “Fedorzinho” – No Pride 28, em agosto de 2004, Fedorzinho foi surpreendido por um chute de Cro Cop e acordou na lona.

10 – Wanderlei x Rampage II – A segunda luta entre eles foi ainda mais sangrenta do que a primeira. Em outubro de 2004, Wanderley acertou mais de dez joelhadas em Rampage, a última delas no seu rosto, deixando-o inconsciente dependurado nas cordas do ringue.

11 – Aleksander Emelianenko “Fedorzinho” x Ricardão Morais – Uma das lutas mais rápidas do Pride. Em 15 segundos uma sessão de socos cruzados desferidos por Fedorzinho bastou para nocautear o Ricardão em abril de 2005 no Pride Bushido 6.

12 – Takanori Gomi x Luiz Azeredo I – Gomi começou a luta apanhando muito, mas depois de quase 4 minutos acertou dois cruzados, um com cada braço, e deixou o brasileiro Azeredo nocauteado no canto do ringue. O combate foi disputado em maio de 2005 no Pride Bushido 7.

MR vs RA
MR vs RA

13 – Maurício Shogun Rua x Ricardo Arona – Shogun era da Chute Boxe e treinava muay thai. Arona, da Brazilian Top Team, especialista em jiu-jitsu. A rivalidade entre as duas escolas era um dos principais atrativos do Pride. Shogun e Arona se enfrentaram na final do torneio dos pesos meio-pesados, em agosto de 2005. O atleta da Chute Boxe levou a melhor e conseguiu um nocaute e em menos de três minutos com uma sessão de marretadas aplicadas contra o rosto do rival.

14 -Wanderlei x Fujita – Pride Critical Countdown Absolute, em julho de 2006. Depois de quase 10 minutos de chutes na cabeça e socos contundentes Fujita sucumbiu aos golpes de Wanderlei.

15 – Cro Cop x Wanderlei – No Pride Final Conflict Absolute de 2006 Cro Cop acertou um de seus chutes fulminantes na cabeça de Wanderlei levando-o à lona e paralisando uma platéia estarrecida pela força do golpe.

Lista de atletas que fizeram história no Pride

1- Rickson Gracie – O Pride surgiu justamente para casar uma luta entre Takada e Rickson. O brasileiro vinha de seis vitórias em solo japonês antes de bater Takada duas vezes no Pride. Foi um desbravador e se tornou um dos maiores ídolos do Japão.

2 – Kazushi Sakuraba – Nunca conquistou o cinturão do Pride, mas conseguiu bater quatro Gracies: Royler, Royce, Renzo e Ryan. Tornou-se o “Caçador de Gracies” e um dos atletas mais importantes da história do vale-tudo japonês.

3 – Wanderlei Silva – Por muitos anos era a principal estrela do Pride e quem garantia a boa audiência do evento. Foi campeão meio-pesado (93kg) e do torneio meio-pesado de 2003. Fez fama ao espancar Sakuraba.

4 – Antonio Rodrigo “Minotauro” Nogueira – Primeiro campeão peso-pesado do Pride, Minotauro ajudou o evento japonês a ser reconhecido como o torneio onde estão os melhores atletas do vale-tudo.

5 – Fedor Emelianenko – Surgiu para o mundo no Pride, apesar de ter se saído bem no RINGS, evento que o revelou. Desde que tomou o cinturão de campeão peso-pesado das mãos do Minotauro esse russo especialista em sambô é visto como o maior lutador de vale-tudo entre todas as categorias de peso. Conquistou também o cinturão do torneio de pesos-pesados de 2004.

PFC-2004
PFC-2004

6 – Dan Henderson – Especialista em greco-romana, Dan tornou-se campeão das categorias médio (83kg) e meio-pesado (93kg), além de ter se sagrado vencedor do torneio dos médios de 2005.

7 – Takanori Gomi – Campeão dos leves (73kg) e do torneio dos leves de 2005. Gomi é até hoje um dos atletas mais populares do Japão e era o principal nome dos pesos leves do Pride.

8 – Mauricio “Shogun” Rua – Bateu quarto lutadores considerados TOP 10 da categoria dos meio-pesados e se tornou o nome mais temido do vale-tudo mundial em 2005. Mais um lutador que firmou o nome do Pride como evento onde lutavam as maiores estrelas desse esporte.

9 – Mark Coleman – O primeiro vencedor de um torneio do Pride, o grand pix de 2000. Ajudou a popularizar o Pride nos Estados Unidos onde é reconhecido como um dos lutadores mais importantes da história do vale-tudo.

10 – Mirko ‘Cro Cop’ Filipović – O ex-policial croata tornou-se uma aposta bem sucedida do Pride. Estrela de eventos de lutas em pé (socos e chutes), Cro Cop lutou até hoje 32 vezes, 24 delas em eventos Pride. Em 2006 sagrou-se campeão do torneio “absoluto” (sem limite de peso) do Pride.

78- Download dos eventos

Todos Eventos do PRIDE FC

9- Outras informações

PRIDE Fighting Championships no Wikipédia

Artigo de primeira qualidade feito pelo Vítor, moderador da comunidade MMA Vale-Tudo – Pride & UFC.

Obs. Caso alguém queira repassar a matéria não há problema algum, basta citar o MMA By Neko como fonte. Obrigado por ajudar a divulgar nosso trabalho.

Sobre Fernando Neko

Editor-chefe e fundador do MMA by Neko. Empreendedor na área de mídia esportiva focada no MMA (Mixed Martial Arts) com mais de 7 anos atuando na área de jornalismo esportivo ligado ao MMA, Neko já foi colaborador de diversos veículos de comunicação relacionados ao tema.
  • http://www.facebook.com/home.php#!/profile.php?id=100002034727100 Teddy Terra

    Show de bola o documentário, nós amantes do MMA só temos a agradecer pela iniciativa e boa vontade…

  • Vitor Dias

    Vlw por divulgar brother, e parabéns por esse espaço e se preocupar em levar tão bem as informações do MMA para os fãs desse esporte.

  • Gustavo

    Valeu Neko! Por ter dado oportunidade de relembrarmos os bons momentos de PRIDE FC. O blog está muito bom! abraço.

  • http://gustavoarruda_@hotmail.com Gustavo..

    Poaww completo o post.
    Parabens!

  • The Situation

    Muito bom msm esse documentário hein…uma gostosa sensação de nostalgia, ali os caras eram verdadeiros guerreiros BEASTS!!!!
    Pena que o UFC tá essa desgraça neh um mais bicha q o outro soh os brazuca q representa msm…
    si colocasse GSP,JON FITCH,FABER,JON JONES ali nakele ringue ia tudo morrer…

  • Rafael

    Neko vc não consegue o documentário Pride Decade? (acho q é assim)
    Consegue ele pra gente cara…hehehe
    Grande post
    Pride Forever

  • fã_ufc

    cara sem comentarios ao dono do site. muita boa vontade meu deussssssss.

    nota mil!!!!!!!!!

  • JefãoPG

    Show demais! Quanta saudade do PRIDE! Época de ouro do MMA. As lutas do PRIDE tinham algo a mais, um gosto diferente, um sabor especial. Os lutadores lutavam pelo orgulho, pela honra. Se eram desafiados aceitavam na hora, hoje dizem:
    - Quer pagar quanto?

  • Wagnão

    Pqp grande post, quase chorei de saudade..
    Hehehe…

    OSS!!!

    http://mmafulltime.blogspot.com/

  • Arthur Lenzi

    Porra concordo com o jefaopg

    o quinton jackson disse q fez a luta pq ia ganhar bastante dinheiro

    porra nao luta nem a metade q lutava no pride(nem a vontade)do q vem mostrado atualmente, o dinheiro fode tudo.

  • TimeOut

    Show Néko. Mandou muito bem. PRIDE era porrada total com muita técnica e sangue no olho. Nada igual ao UFC 130…que lástima…

  • gaza

    tempo bom viu !!!!

    eu acordava 4:00 da manha pra assistir com cerveja e churrasco kkkkkkk

    melhor evento q ja existiu.

  • Douglas M

    Isso deveria ser ensinado nas escolas…
    E Mostrar o vdd sentido da Luta/Arte Marcial …a disciplina, respeito, seriedade, trabalho duro…
    Coisa q a cada dia q passa menos vemos nas escolas….
    mandou bem na materiaa..

  • weslley

    Saudades do eterno PRIDE.

  • Jefferson

    Tu é o cara Neko…

  • http://tudomma.blogspot.com/ Renato Souza

    bom dia!!

    alguém sabe aee qual pride
    aconteceu a luta entre Ricardo Arona vs fedor….

    abraçosss

    http://tudomma.blogspot.com/

  • fabricio

    O Pride foi um evento foda pq foi um lugar aonde o pessoal dava muito mais valor a LUTA do que ao DINHEIRO.Foi uma combinaçao perfeita Japao e Lutas, la foi o verdadeiro Street Fighter

  • Thiago Vernillo

    Cara ótimo trabalho, espero um dia poder ver um evento japonês nas mesmas condições e regras do Pride F.C. Isso sim era MMA, não essa agarração entre homens.
    Gostaria de fazer downloads te todos os videos que está disponivel no site, porém estão todos off. Tem como você disponibilizar novamente os links?
    Abçs, e mais uma vez parabéns

  • Max Junior

    Pow valew mesmo kara esse sim foi o maior e melhor de todos os tempos PRIDE vlw

  • mckmedeiros

    Parabéns, agora sim posso dizer que sei alguma coisa concreta sobre a história do mma.
    Neko, observei que tem um paragrafo repetido onde diz: A posição de Silva nos pesos médios de Pride…(fando a respeito do Wand)
    valeu tchao.

  • http://www.mmabyneko.com.br/ F. Néko

    Valeu pelo toque mckmedeiros…
    Já corrigido…

  • andre lucas

    PARABÉNS PELO SITE, muito bem feito.
    alguém sabe onde eu encontro de forma segura esses dvd’s do pride?
    a minha coleção da desfalcada de alguns dvd’s.
    abraços

  • http://@marcipiccola Marci

    Adorei a matéria, ainda mais para mim que estou conhecendo melhor este esporte é muito bom encontrar artigos tão bons quanto este, mas já virei fã! Parabéns!

  • http://adriel adriel

    muito legal criar o site do pride o melhor evento de lutas de todos os tempos UFC não chega nem aos pés

  • http://www.mmabyneko.com.br/pride-fighting-championships-11101997-%E2%80%A004102007/ eduardo

    quero baixar todos os eventos do pride me ajude por favor nao consigo